Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Estado suspende pagamentos e fecha o sistema financeiro

secretário de fazenda, Rafael Fonteles, disse que o sistema está passando por migração para ser mais eficiente
O sistema financeiro do Estado está fechado para pagamentos, inclusive de fornecedores. A Secretaria Estadual da Fazenda esclarece que o Sistema de Administração Financeira para Estados e Municípios (Siafem) está passando por um ajuste, por conta da implantação do novo Sistema Integrado de Administração Financeira do Estado (Siafe). Por outro lado, os comentários é que estão cumprindo as determinações do governador Wellington Dias para fazer um fundo e garantir o pagamento dos salários e do 13º.
Segundo informações da Secretaria de Fazenda, o novo sistema, que substituirá o Siafem, é mais moderno e eficiente. "Além disso, como já é de praxe todos os meses, o Siafem fica fechado para pagamento de fornecedores quando está em curso a folha de pagamento do Estado", informou a Sefaz.
De acordo com a Sefaz, com o novo sistema, o Estado passará a ser referência em modernização contábil e financeira, já que adotou o padrão internacional de contabilidade exigido pela Secretaria do Tesouro Nacional.
O secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, disse que a Sefaz está trabalhando para colocar o sistema em funcionamento até o final do ano. "Os trabalhos foram intensificados para que o cronograma seja cumprido dentro do prazo. Estamos com a equipe do Tesouro Estadual atuando em conjunto com a empresa desenvol-vedora do sistema", afirmou.
O Siafe deverá integrar-se aos órgãos e entidades da administração direta e indireta e demais poderes, bem como aos sistemas corporativos do Estado, dentre eles: Portal da Transparência, Folha de Pagamento, Sistema de Arrecadação e Controle de Patrimônio. Assim, o sistema estará em total consonância com a legislação pertinente, permitindo o monitora-mento global e detalhado das despesas para fornecer informações gerenciais tempestivas, com vistas a melhorar a aplicação das receitas, sejam elas tributárias ou de outras fontes.

"O novo sistema traz inúmeras vantagens, tais como a modernização do controle da despesa, o combate ao desperdício de recursos materiais e tecnológicos, a transparência na aplicação dos recursos para a sociedade e disponibilização de informações em tempo real, o que representará um avanço na gestão de negócios para área governamental", destacou o secretário.(DP)