Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 18 de outubro de 2016

O que faltou no manual petista:"NÃO ROUBAR NEM DEIXAR ROUBAR"

Por: Zózimo Tavares
Os 38 prefeitos eleitos e reeleitos pelo PT no Piauí não sentarão em suas cadeiras de mãos vazias a partir de janeiro. Eles receberam da direção regional do partido uma cartilha com orientações sobre as primeiras medidas que devem tomar e como devem conduzir as suas gestões. O jornalista Pedro Alcântara publicou na edição de ontem do Diário o Manual da Gestão Municipal Petista, distribuído em 13 itens, a saber:
1 - Transição - é obrigatória; 2- Não nomeie todos os cargos comissionados; 3- Não crie novos cargos no início, ainda que tenha prometido; 4- Não marque data para fazer as coisas, pode falhar e dar motivo a cobranças e críticas; 5- Não fique plantado no gabinete; 6- Trate bem os(as) servidores(as), principalmente os(as) efetivos(a), seja transparente com eles com eles(as); 7- Reúna sua equipe pelo menos a cada 2 meses; 8- Comunique-se. Vá aos eventos. Fale nas rádios, portais, etc. Tenha os próprios meios da prefeitura. Coloque alguém para cuidar das redes sociais, elas podem construir uma reputação; 9- Estabeleça mecanismos de participação popular. Faça o povo conhecer o que você está fazendo. Se estiver fazendo correto, esse pessoal vai ser a melhor propaganda do seu mandato; 10- Não se preocupe em contratar meios de comunicação ou jornalista da capital. Lembre-se que uma entrevista em Teresina pode não ser vista por ninguém da sua cidade. Um site ou um portal local é acessado por mais gente no município; 11- Cuidado com as finanças. Equilíbrio das contas só tem dois caminhos: aumenta a receita ou diminui as despesas. Nem sempre aumentar as receita está sob seu controle. Já as despesas são do seu inteiro domínio (ou devem ser); 12- Conheça seu município. Tenha dados consistentes, verdadeiros. IDH, produção, escolaridade da população, empregos, saneamento, etc. Isso tem valor na hora de  negociar; 13- Por fim, não esqueça os princípios da administração pública, que formam a sigla LIMPE: L - de Legalidade, só pode fazer o que está na lei, se não tem lei, crie uma lei municipal, se for de sua alçada. I - de Impessoalidade. Nada pode ser feito para alguém especificamente. Tudo é coletivo. M - de Moralidade, nada pode ser feito para se envergonhar, ser desmoralizado. P - de Publicidade ou Publicização, tudo "às claras", com conhecimento da população, da Câmara Municipal, dos Conselhos. Nada de publicar em jornais da capital e não informar à população, caso contrário, é desperdício do dinheiro público e pode gerar ação de improbidade contra o gestor.
A Cartilha do PT, embora coerente com a linha ideológica do partido, chove no molhado e, não sei se de propósito ou por algum lapso, esqueceu de enumerar duas regras que devem nortear qualquer administração, em qualquer nível: não roubar nem deixar roubar.