Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Cadê a transparência da Gestão do Prefeito Florentino Neto?

                       Equipe de Transição  trabalha diuturnamente
A equipe de transição do prefeito eleito Mão Santa tem feito um trabalho dos mais elogiosos, garimpando na internet as informações que necessita, considerando a má vontade e as dificuldades que têm sido criados pelos assessores que o prefeito Florentino Neto colocou para colaborar neste período de transição.
O prefeito Florentino, que ainda não engoliu a fragorosa derrota com a qual nunca sonhou, parece ser o primeiro a “enrolar”, ou melhor, o primeiro a criar dificuldades como se antes de mais nada ele tivesse que maquiar alguma coisa para poder repassar as informações solicitadas. Inclusive nos foi informado que, ao insistirem em pedir informações ele, debochadamente, teria dito a um membro da equipe de Mão Santa: “Eu sei que vocês estão com pressa de entrar (na prefeitura)”, ao que sua interlocutora respondeu, de pronto:”e o senhor, com nenhuma vontade de sair”.
NOVAS NOMEAÇÕES
Foi constatado pela equipe de transição do novo governo que depois da derrota, dia 2 de outubro, o prefeito Florentino Neto voltou a nomear. Inclusive ferindo a lei eleitoral e comentando improbidade administrativa, conforme a assessoria jurídica que acompanha os trabalhos da equipe de Mão Santa. O Diário Oficial estava suspenso e de repente apareceu com mais de 200 novas nomeações.
Funcionários fantasmas
Foram nomeados outra vez, alguns Superintendente Regionais, cargos criados para serem uma espécie de subprefeituras, só que nunca funcionaram como deveria, portanto, desnecessárias. Foram constatados também, no Diário Oficial, nomes de vários familiares do ex-prefeito José Hamilton, mentor político do atual prefeito. Por que exatamente familiares do ex-prefeito? São os mais competentes, as mais proativos, os imprescindíveis?
De acordo com as pesquisas feitas, o prefeito Florentino Neto nomeou em agosto, assinou contrato com validade de um ano, mas só foi publicado no diário oficial dia 21 de outubro de 2016. Só ficou disponível no Portal da Transparência dia 11 de novembro.

O que fica bem claro, diante dos fatos, é que não obstante o tamanho da equipe do prefeito, com quase 30 secretários e centenas de “aspones”- assessor de ôrra nenhuma-, a administração municipal era de uma desorganização total. Agora estão tentando legalizar atos praticados no passado e deixando responsabilidades e problemas atuais para a próxima gestão. Tudo bem ao modus operandi, ou ao “modo petista de governar”.