Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 27 de novembro de 2016

NUNCA DESISTAM DE SEUS SONHOS!

Por: Zózimo tavares
Na primeira pesquisa de intenção de voto para prefeito de Parnaíba, realizada no inicio deste ano, o contratante mandou riscar o nome do ex-senador Mão Santa, pois ele não era páreo para o prefeito Florentino Neto(PT).
Este se apresentava, afinal, com uma gestão bem avaliada, tinha pano pras mangas e o apoio do governador Wellington Dias, além de dezenove partidos políticos na sua retaguarda. Neste cenário, o ex-senador era carta fora do baralho. Derrotado seguidamente nas eleições para governador em 2006; na reeleição para o senado, em 2010; para prefeito de Parnaíba em 2012; e novamente para governador, em 2014; ele estaria sem força e já não seria mais uma ameaça politica para ninguém.
Pois é! Em sua já longa vida de embates eleitorais e políticos, no decorrer da qual festejou conquistas e glórias, e também passou por todo o tipo de provação, Mão Santa já era dado como um político de pijama. Sua inimaginável eleição para governador, em 1994, já seria apenas historia, pois aquela proeza marcara intensamente a crônica politica piauiense e mudara o curso da historia.
Nessa campanha, Mão Santa fora escalado para duelar nas urnas com o candidato do governo, o deputado federal Átila Lira, filiado ao PFL, o maior partido do Piaui, e que tinha ao seu lado um valente, gigantesco, poderoso e implacável exercito de senadores, deputados, prefeitos e vereadores espalhados por todo o estado. Não custa lembrar que o parnaibano contava com o apoio de apenas três do 148 prefeitos do Piauí.
Não havia no estado outro político que se dispusesse a tamanha aventura(ou desventura). Mão Santa foi, assim, lançado às feras, como Daniel fora jogado à cova dos leões famintos e ferozes. E, como o herói bíblico, de lá também saiu são e salvo, sendo eleito governador. Reeleito em 1998, com a força da máquina governamental. Cassado em 2001, acusado de uso do poder, no ano seguinte foi para o Senado nos braços do povo.
No congresso, marcou presença como voz firme e barulhenta da oposição. Mas, diante de tantas derrotas seguidas nas urnas, o badalado  Mão Santa da TV Senado acabou caindo no ostracismo. A maior das derrotas não dói tanto a um politico. Sempre que íamos a Parnaíba, nesse período, procurávamos visitá-lo. Como íamos em fins de semana, era em sua casa de praia que o encontrávamos, acompanhado de sua Adalgisa e de mais ninguém. Só os ventos dos verdes mares bravos da praia do Coqueiro batiam à sua porta.
O tempo passou, a campanha eleitoral chegou e, com apenas dois partidos sem peso eleitoral e 32 segundos no rádio e na TV, contra 19 partidos e mais de 5 minutos do prefeito no ar, Mão Santa foi à luta. Não eram apenas seus adversários que não acreditavam em sua candidatura. Ninguém mais acreditava. E ele virou o jogo. Pôs abaixo o poder da Prefeitura e do Governo. Voltará em janeiro à prefeitura de Parnaíba, depois daquela que entrará para a historia como a vitória mais espetacular das eleições deste ano no Piauí, por ser ainda mais improvável que a sua eleição para governador, em 1994. Uma campanha de obstinação, que passa para todos, da política ou não, uma rica lição: nunca desistam dos seus sonhos!

Fonte:REVISTA CIDADE VERDE