Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Dois grandes partidos viram pó para as eleições de 2018

Pelo menos dois grandes partidos irão virar pó nas próximas eleições no Piauí. Um é o PTB, que elegeu um senador nas eleições de 2006, disputou o Governo do Estado em 2010 e conquistou outra vaga de senador em 2014. Também elegeu expressiva representação na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa, além de dezenas de prefeitos e centenas de vereadores.
O partido começou a degringolar em 2015, na volta do governador Wellington Dias ao Palácio de Karnak, para exercer o seu terceiro mandato. O governador pescou para o seu secretariado vários parlamentares do PTB, esvaziando por completo o comando do partido no Estado.
Contrariado com essa investida do governo e com posições da direção nacional, o ex-senador João Vicente Claudino deixou a presidência regional da sigla e, depois, pediu desfiliação. O senador Elmano Férrer assumiu o comando do PTB e, logo que concluiu o seu mandato partidário, mudou de partido. Hoje está no PMDB.
Os deputados que ainda estão filiados ao PTB aguardam apenas a abertura da “janela” partidária para pular para outra sigla. Isso se dará em março do próximo ano. Até lá eles ficam no partido apenas formalmente, para proteger seus mandatos de cassação por infidelidade partidária. O deputado federal Paes Landim retornou a presidência estadual do PTB na condição de rainha da Inglaterra – reina, mas não manda.
Outro partido que também vai chegar sucessão estadual de 2018 com peso morto é o PSDB. A legenda já chegou ao segundo turno da eleição para governador em 2010 e indicou o candidato a vice-governador do PMDB nas eleições passadas.
O ex-prefeito Silvio Mendes, que chegou a ser a maior expressão do partido no Estado, sem mais nem menos vai se filiar ao PP no próximo dia 20, sepultando de vez todas as chances e os sonhos do PSDB com o Karnak. Com isso, o partido perde também qualquer cacife para a próxima sucessão estadual.