Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Os fofoqueiros de plantão devem ser desmentidos de forma veemente!

                                    Ouvindo o outro lado
Existem pessoas em Parnaíba, travestidas de blogueiras, repórteres, e afins, que escrevem na imprensa mas não fazem jornalismo, que precisam ser desmentidas de forma veemente. Todos os dias. Em função do desserviço que prestam à cidade, com suas fofocas e disse-me-disse.
Publicam fofocas da administração municipal e se comprometem como profissionais, porque nunca procuram ouvir o outro lado. Nunca checam o que (des)informam.
Opositor mas não inimigo
Nesses dois meses de governo Mão Santa nunca em tempo algum procuraram quem quer fosse da administração, para ouvirem a versão oficial. Criam fatos, dão credibilidade ao "ouvi dizer" nas esquinas e nos botecos.
Até há bem pouco tempo fizemos oposição ao ex-prefeito Florentino Neto, a cuja administração fazíamos nossas análises, mas sem acusação. Mesmo assim, com o dedo em riste, na Câmara Municipal, fomos acusados por ele de sermos seu maior opositor, apenas porque cobrávamos o cumprimento de promessas, que eram muitas, tal e qual as promessas desse Governador que está aí, tentando manter de pé o Partido (PT) que acabou com o país, praticando a maior corrupção da história do Brasil.
A estes fofoqueiros de plantão damos nossa palavra que ninguém do governo Mão Santa vai negar informações solicitadas por quem quer que seja. Queremos construir uma administração com a participação de cada parnaibano de boa vontade. E na oposição existem também pessoas de boa vontade. Contamos com elas. Mas combateremos veementemente aqueles que vivem criando factóides, espumando de raiva, frustradas, ressentidas, pela derrota que o Mão Santa impôs ao PT em Parnaíba.
Quem for do bem, certamente nos entenderá. Mas quem coloca os interesses pessoais e cartoriais acima de qualquer outra coisa, esses ficarão para trás, engolindo poeira. Porque é bem como dizia o jornalista Ibrahim Sued: "os cães ladram e a caravana passa".