Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 1 de junho de 2017

“É mais fácil ele ir à Alemanha do que ao Palácio do Planalto”, diz deputado sobre Wellington Dias

Deputado Heráclito Fortes
O deputado Heráclito Fortes (PSB) criticou o excesso de empréstimos realizados pelo governo de Wellington Dias no Piauí, em especial, o último anunciado no valor de R$ 1,2 bi, que seria para o pagamento de precatórios (dívidas na justiça) no valor de R$ 950 milhões; e outro, no valor de R$ 315 milhões, destinados ao financiamento de obras de infraestrutura, implantação e recuperação de rodovias, mobilidade urbana e saneamento básico.
Falando da Tribuna, Heráclito alertou para o risco de se recorrer a uma instituição privada, considerando o perigo dos juros altos praticados pelo banco. Ele também destacou outros anúncios seguidos de empréstimos internacionais feitos pelo governador, sem garantias e que sequer passam pelo Congresso Nacional.
“É mais fácil ele ir à Alemanha do que vir ao Ministério do Planejamento, ao Palácio do Planalto, ao Congresso Nacional. Ora, empréstimo nenhum acontece sem que estas autorizações existam”, disse Heráclito, se referindo à solicitação de empréstimo feita pelo governador ao banco alemão KFW no valor de 150 milhões de euros (algo em torno de meio bilhão de reais) e que foi barrado pela União. “Nós estamos em um momento de contenção e de recessão, mas o governador Wellington Dias anda na contramão da história, procurando e anunciando empréstimos que não vão se concretizar”, disse.
Para o parlamentar, o governador do Piauí deveria enxugar a máquina, reduzir o número de secretarias e de coordenadorias e não aumentá-las como anda fazendo. “O governador deve priorizar o pagamento da folha de pessoal e evitar gastos descontrolados, desordenados e sem nenhum objetivo”, disse Heráclito, que questionou ainda a falta de investimentos em obras de infraestrutura e a não conclusão de outras que são importantes para o desenvolvimento do Estado. “Eu continuo defendendo uma atenção prioritária à Transnordestina, obra fundamental para o Piauí e para o Nordeste, e apelo ao governo federal e ao presidente da República que determine a sua imediata retomada”, concluiu. (Portalaz)