Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 5 de agosto de 2017

AMIGOS SE REÚNEM PARA CRIAR O INSTITUTO UBUNTU DE DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL

Um grupo de amigos se reuniu na residência do sociólogo Fernando Gomes com o objetivo de discutir a criação de uma organização não governamental  com foco na gestão socioambiental regional.
O Instituto Ubuntu de Desenvolvimento Socioambiental, designado INSTITUTO UBUNTU é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos ou econômicos cujo objetivo é promover a conservação/preservação da natureza e o desenvolvimento social, através do desenvolvimento, gestão, coordenação, promoção ou patrocínio de atividades que busquem conciliar a conservação dos recursos naturais com o desenvolvimento econômico-social.
Para Fernando Gomes, idealizador do projeto, o “Instituto é uma iniciativa de agregar as pessoas do bem em ações que estimulem a solidariedade e a ligação perdida de um elo comum entre todos nós, pois é através desta ligação, através de nossa interação com nossos semelhantes, que descobrimos nossas próprias qualidades humanas”.
A palavra "Ubuntu" é originária de uma das línguas Bantu da África, e é pronunciado como uu-Boon-too. É uma filosofia tradicional africana que nos oferece uma compreensão de nós mesmos em relação com o mundo. Ou como os Zulus diriam, "Umuntu ngumuntu ngabantu", o que significa que uma pessoa é uma pessoa através de outras pessoas. Afirmamos nossa humanidade quando reconhecemos a dos outros.
Para Milton Nascimento, advogado e delegado aposentado “nós precisamos nos importar com o rumo que as coisas estão tomando em nossa sociedade, o individualismo e a falta de amor ao próximo estão destruindo as relações humanas, mas nós podemos mudar e melhorar esta situação”.

Dois projetos iniciais foram priorizados: PROTETORES DOS ANIMAIS - Trabalho voluntário de um grupo de amigos capitaneado pela Sra. Conceição e Nahraline (João XXIII) que cuida de animais abandonados pela cidade; e de INCENTIVO À LEITURA - Trabalho voluntário da estudante de Ciências Sociais (UESPI), Andréia Souza, desenvolvido em escola pública na comunidade BroderVille.