Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 22 de agosto de 2017

VIAGENS ADMINISTRATIVAS DE W. DIAS CONCILIAM ENCONTROS COM LULA: SÓ COINCIDÊNCIA?!

PELOS MENOS SEIS VIAGENS OFICIAIS DO GOVERNADOR DO PIAUÍ COINCIDIRAM COM ENCONTROS COM O COLEGA DE PARTIDO MAIS ILUSTRE
Um dos encontros foi destaque na página do governador
Desde 2015, primeiro ano do seu terceiro mandato, o governador Wellington Dias (PT) tem se encontrado com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em diversas ocasiões. Boa parte dos encontros ocorreu durante viagens administrativas do governador, oportunidades em que ele aproveitou para rever o seu mais ilustre colega de partido.
O último encontro entre eles ocorreu na quinta-feira (17) em Salvador, na Bahia, onde Lula deu início à caravana que fará pelo Nordeste nas próximas semanas. Mas a ida de Wellington Dias à Bahia previa uma agenda oficial. Na ocasião, ele participou de uma reunião com o governador baiano Rui Costa, também do PT e grande defensor de Lula.
O encontro entre os dois petistas que coincidiu com o pontapé inicial da caravana lulista era para tratar da criação de uma previdência complementar unificada para todos os funcionários públicos da região Nordeste, a PrevNordeste. Na viagem, Wellington estava acompanhado de Marcos Steiner, presidente da Fundação Piauí Previdência. Mas essa não foi a única ocasião em que Wellington aproveitou uma agenda administrativa para se encontrar com Lula. 
Após agenda administrativa, Dias almoçou com Lula (Foto: Reprodução/InstitutoLula)Após agenda administrativa, Dias almoçou com Lula 
No dia 24 de fevereiro de 2015, ele viajou até São Paulo para tratar de investimentos para o Piauí e teve reuniões com representantes da Suzano Celulose, com o então presidente da Brasil Exploração Mineral S.A (Bemisa) e com o deputado federal Cândido Vaccarezza (PT), preso na última sexta-feira (18) na Operação Lava Jato. Em meio aos compromissos, Wellington foi até o Instituto Lula, onde almoçou com o ex-presidente. O encontro foi destaque no site do instituto.
Em 15 de abril de 2016, véspera da votação do impeachment de Dilma Rousseff na Câmara, Wellington rumou para Brasília. Conforme noticiou o site do jornal Folha de S. Paulo à época, o petista piauiense, novamente na companhia do governador baiano Rui Costa e ainda do cearense Camilo Santana (PT), conciliou agendas administrativas com reuniões com parlamentares. Tudo na tentativa de barrar a admissibilidade do impeachment na Câmara.
Um trecho da reportagem da Folha dizia que “o governador do Piauí, Wellington Dias, também vai mobilizar deputados em favor de Dilma. Com trânsito no Congresso, onde foi líder do governo no Senado, deve atuar na articulação não só da bancada do Piauí, mas também junto a deputados de outros Estados”. Lula estava na capital federal liderando as articulações e, junto com Wellington e outros apoiadores, acompanhou Dilma quando ela deixou o Planalto após a Câmara aprovar o recebimento da denúncia.
W. Dias ao lado de Lula (atrás de Dilma) após Câmara afastá-la em 2016 (Reprodução/NBR)W. Dias ao lado de Lula (atrás de Dilma) após Câmara afastá-la em 2016 
No dia 31 de agosto de 2016, quando o impeachment de Dilma foi votado no Senado, Wellington mais uma vez arrumou as malas rumo à capital federal. Na ocasião, ele esteve com Dilma mais uma vez e se solidarizou com a petista quando a maioria dos senadores aprovou o afastamento definitivo dela da Presidência da República. Lula também estava em Brasília e acompanhou a votação ao lado de Dilma.
No dia 15 de março de 2017, o governador do Piauí foi novamente a Brasília participar de uma reunião para tratar sobre a retomada das obras do Porto de Luís Correia. Ele se reuniu com o secretário de Infraestrutura Portuária do Ministério dos Transportes e Portos, Daniel Maciel de Meneses Silva, na Esplanada dos Ministérios. No entanto, aproveitou e se encontrou com Lula. O encontro entre os petistas foi, inclusive, publicado na página de Wellington Dias no Facebook.
Lula e Dias na PB para inauguração popular da transposição (Foto: Reprodução/Internet)Lula e Dias na PB para inauguração popular da transposição
No dia 18 de março, Wellington participou de encontro de governadores em João Pessoa, na Paraíba. Na ocasião, ele esperou algumas horas a mais e já ficou para o ato de “inauguração popular” de um trecho da transposição do Rio São Francisco, na cidade de Monteiro. O evento que reuniu uma multidão de sertanejos no município paraibano teve como grande protagonista o ex-presidente Lula.
FORA DA AGENDA OFICIAL
No dia 9 de maio deste ano, Wellington Dias viajou para Curitiba, onde participou de uma vigília na véspera do depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro. Nessa viagem, o governador afirmou tratar-se de um deslocamento de cunho privado e ressaltou que todas as despesas da viagem foram pagas por ele.
GOVERNO NÃO SE MANIFESTA
O governo do Estado foi procurado pelo Política Dinâmica para comentar o assunto. A reportagem questionou se a administração estadual não considera desarrazoável que as viagens oficiais citadas na matéria coincidissem com os encontros entre Wellington e Lula. 
Também foi questionado se a reunião com o governador da Bahia no último dia 17 havia sido marcada antes ou depois da definição da caravana do ex-presidente Lula na cidade. Tanto esse como outros questionamentos levantados pela reportagem não foram respondidos.(Gustavo Almeida- Política Dinâmica)