Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

2018 no Piauí segue rumo a um ‘WO’

O expressão WO é do inglês britânico e muito usada no mundo esportivo. ‘WalkOver’ quando traduzido para o Português significa vitória fácil ou sem resistência, muito usada no futebol quando o time adversário sequer comparece a disputa. Assim caminha o Piauí para 2018. A um ano da eleição nenhum nome se apresenta e a tática da oposição no Piauí se repete, escolher o adversário a poucos meses da disputa.
Os nomes que tentam formar um bloco de oposição para 2018 não são fracos. Os partidos que devem integrar esta trincheira também não. Estão na lista o PSB, PSDB, parte do PDT e do PMDB. O leque de nomes para enfrentar o Governador Wellington Dias (PT) tem as qualidades que qualquer candidato deve ter, são nomes com capacidade de agregar em seus palanques e conhecidos no Estado.
Ontem (19) os deputados Robert Rios (PDT), Gustavo Neiva e Rubem Martins do PSB, Juliana Moraes Sousa (PMDB), Marden Menezes e Luciano Nunes do PSDB se reuniram para debater a formação desse bloco oposicionista. A intenção dos deputados é louvável quando se trata a questão em termos de democracia, a possibilidade de escolha e disputa é saudável, salutar e importante, mas pode se mostrar uma tentativa frustrada.
A escalação conta com nomes como o do prefeito de Teresina Firmino Filho, do ex-prefeito Silvio Mendes, do ex-senador João Vicente Claudino e o ex-ministro João Henrique Sousa, atual presidente nacional do Sesi. Todos contando com apoios já declarados de nomes como o do ex-governador Wilson Martins, Zé Filho, Mão Santa e de deputados federais com livre trânsito em Brasília.
O prefeito Firmino Filho reiteradas vezes diz que não pretende ser candidato e que continua como prefeito. O ex-senador João Vicente não descarta a possibilidade, mas também não se escala, na mesma postura está Silvio Mendes e o deputado estadual Dr. Pessoa (PSD) se diz pré-candidato como terceira via, ou seja, espera por duas decisões, a de que exista um segundo candidato e também a de que seja efetivamente negada a vaga ao presidente do seu partido, deputado federal Júlio César, que pleiteia ser o candidato ao Senado na chapa de W. Dias, coisa que o PT não quer nem ouvir falar. O ex-governador Wilson Martins já chegou a afirmar que não deixará um WO acontecer em 2018, mas também disse que não só apoiará mas aguardará os demais nomes se decidirem. O único nome a se escalar foi João Henrique, mas que não conta com apoio da cúpula peemedebista. Parece que há um WO se desenhando.(Elizabeth Sá)