Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Deputado Robert Rios revela detalhes dos contratos de empréstimos do Governo


O líder da oposição na Assembleia Legislativa do Piauí, deputado Robert Rios Magalhães (PDT) voltou à tribuna durante a sessão plenária desta quinta-feira (16) para rebater o discurso do deputado João de Deus, que teria entregue uma “cola” aos deputados governistas para fazer as intervenções com dados da Secretaria de Fazenda, que ele chamou de “Escolinha do Professor Rafael”, referindo-se ao secretário Rafael Fonteles, com quem conversou pelo WhatsApp.

Robert Rios exibiu cópia do contrato do Governo do Estado com a Caixa Econômica Federal. Antes, repetiu que o governo tem R$ 24 milhões na Coordenadoria de Comunicação para gastar com mídia. O deputado citou o jornal Diário do Povo, que estampou em primeira página as denúncias feitas por ele no começo da semana sobre o desvio de recursos de empréstimos por parte do governo. E disse que as provas do que afirmou já estão na Assembleia Legislativa e no site do Tribunal de Contas do Estado. Rios defendeu a realização de uma audiência pública na Assembleia com os técnicos do TCE do Piauí para debater o que foi dito por ele na tribuna.

“Se isso não for verdade eu vou voltar aqui para pedir desculpas ao governo”. Rios elogiou atuação do senador Ciro Nogueira, presidente do Progressistas na liberação de recursos para o Piauí. E citou trecho do contrato de empréstimo, sobre as garantias e pagamentos. “No dia 9 de agosto deste ano governo recebeu 307 milhões de reais. A finalidade única e exclusiva era financiado despesas de capital classificadas como investimentos para 2017 e 2018. O contrato estabelece que é vedada aplicação dos recursos obtidos nesse empréstimo em despesas correntes do governo, como pagamento de servidores ativos e inativos”, leu.

O parlamentar continuou a análise do pedido de empréstimo.

“48 horas depois da liberação dos recursos pela Caixa o governo pediu mais R$ 45 milhões de desembolso a Caixa. O TCE entregou para mim o extrato sobre os desembolsos da conta. No dia 11 de agosto, o governo sacou R$ 45 milhões e colocou na conta única do Estado, ao invés depositar na conta convênio  da agência Conselheiro Saraiva conforme estabelecido no contrato. No dia 15 de agosto, foram mais R$ 5 milhões com a mesma operação. Em 9 dias o governo sacou e colocou na conta única 152 milhões”.

Em 2009, prosseguiu o orador, “o governador Wellington Dias fez a mesma coisa com as contas do metrô. Sacou R$ 9 milhões e colocou na conta única do Estado. O Tribunal de Contas então mudou o governador do Piauí, mas a presidente Dilma foi cassada por que praticou pedalada a mesma coisa está acontecendo com o governador Wellington Dias”.

Robert Rios denunciou que a mesma coisa aconteceu com dinheiro do Banco Mundial. “200 milhões de dólares foram desviado para o fundo previdenciário. O governador Wellington Dias recebeu mais de 1 bilhão contratados do governo Wilson Martins e nós estamos investigando justamente essa aplicação onde foram colocados esses recursos, onde foi aplicado o dinheiro dos empréstimos consignados, o dinheiro Iapep-Saúde e Planta que são dinheiro dos servidores. O governador sabe que não vai receber a segunda parcela do empréstimo por que desviou a finalidade dos recursos. Aí a bancada do governo começa a produzir  mil e uma mentiras para enganar a verdade falando em perseguição”.

Segundo Robert Rios, a Polícia federal vai investigar os contratos. “Estou dizendo que quando a Polícia Federal começar a investigar a aplicação desses recursos vai perceber que houve irregularidades. O papel mais importante do parlamento é fiscalizar as contas do Executivo. Quem vai pagar esse empréstimo é o povo do Piauí. Que me garante que esse dinheiro do empréstimo não foi usado para pagar aquele jatinho que levou o filho do Governador queria você do governador  para curtir uma praia em Barra Grande?”, questionou.
Paulo Pincel
Edição: Katya D'Angelles