Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Governador quer mais empréstimos

Por:Zózimo Tavares
O governador Wellington Dias bateu outra vez à porta da Assembleia Legislativa com novo pedido de autorização de empréstimo. Agora, ele apresentou a Mensagem nº 59, que prevê a alteração da Lei nº 6977, de 18 de abril de 2017. Esta lei autorizou o Governo do Estado a contratar operações de crédito com a Caixa Econômica Federal.
O novo Projeto, que tramita em regime de urgência, autoriza o governo a firmar operações de crédito junto a outros agentes, sejam bancos ou instituições não-financeiras, como melhor alternativa para viabilizar o acesso a recursos.
A Mensagem está provocando muita discussão. O líder do Governo na Assembleia, deputado João de Deus (PT), afirma que o Piauí vive em melhor situação que outros Estados da Federação, com capacidade para contrair empréstimos de até R$ 11 bilhões. Nos últimos três anos, o Piauí já fez empréstimos que totalizam R$ 5 bilhões.
Receita cresce
Sobre os novos empréstimos que o governo pretende contrair, o líder disse que, ao mesmo tempo, foram amortizadas parcelas de outras operações e o Piauí está aumentando sua receita.
João de Deus acrescentou que foram investidos R$ 854 milhões em 20016, sendo que R$ 736,5 milhões foram aplicados em obras como o Rodoanel, Elevado da Miguel Rosa, dentre outras.
O líder da oposição, deputado Robert Rios (PSD), criticou a proposta com veemência. “Um projeto como esse não pode ser votado e aprovado em regime de urgência. Esta Casa está sendo cúmplice de um crime. Os servidores e o povo do Piauí estão sendo roubados", denunciou.
Não é infundada a informação do líder do governo de que o Piauí tem capacidade de endividamento. O Estado não tem é capacidade de pagamento. Basta lembrar que o governo bloqueou os pagamentos dos prestadores de serviço e fornecedores no mês passado e que, se faz um empréstimo atrás do outro, mesmo com a arrecadação própria aumentando, certamente é porque a situação financeira é de penúria.