Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Secretária de Infraestrutura explica razões da solicitação de empréstimo para o município

A secretária de infraestrutura, Gracinha Moraes Souza, disse hoje que o que levou o Poder Executivo a solicitar autorização da Câmara Municipal para contrair um empréstimo, de até R$ 5 milhões, junto à Caixa Econômica, foi a necessidade de pagamento de contrapartidas, de parcerias feitas entre governo federal e a Prefeitura, quando “aplicaram milhões de reais, recursos federais, sem o pagamento das devidas contrapartidas e, caso não se faça isso, pois esses débitos estão acumulados, além das obras em andamento serem paralisadas, o município ficará inadimplente junto ao governo federal e não receberá mais nenhum recurso de Brasília. Isso sem se falar que o município terá que devolver os milhões utilizados durante as gestões dos ex-prefeitos Zé Hamilton e Florentino, que “enterraram” esses recursos, não concluíram nenhuma obra e nem pagaram as contrapartidas. O empréstimo que a Prefeitura pretende fazer é de forma responsável e para amortizar a dívida junto à própria Caixa Econômica, com juros baixos e com carência”, explicou a secretária.
Ela disse ainda que o pedido de empréstimo foi devidamente analisado pela própria Secretaria de Fazenda e pela Caixa Econômica. “Irresponsável são os que, politicamente, tentam confundir a população. Eles deveriam ter impedido os ex-prefeitos Zé Hamilton e Florentino de deixarem obras inacabadas e não pagarem as contrapartidas federais. Só no PAC I enterraram 29 milhões de recursos federais e endividaram nossa cidade. Agora estamos diante da seguinte situação: ou se devolve o dinheiro ou se paga a dívida anterior e conclui as obras, caso contrário, o município fica inadimplente”, complementou.
Ela destaca também que, dentre as obras inacabadas, que ficaram com débitos estão: obras de drenagem e esgotamento sanitário (PAC); CEU das Artes, UPA 24 horas, creches do governo federal, Unidades Básicas de Saúde, postos de saúde, ou seja, “dívidas contraídas e obras inconclusas, que acumulam milhões em dívidas”, frisa Gracinha, perguntando: “Aos vereadores que ainda não desceram do palanque, por que não cobraram e não procuram saber sobre os não pagamentos das contrapartidas dos empréstimos de obras deixadas pelos dois ex-prefeitos? Por que eles deixaram o município chegar a este ponto? Por que não respondem com a verdade ao povo parnaibano? Vereador é para bem representar a população. E não ficar em tribuna ou nas esquinas manipulando e distorcendo os fatos. Repudiamos os vereadores que se elegeram para legislar e defender os interesses da cidade e de seu povo e agora querem usar a tribuna apenas para palanque partidário. É hora dos vereadores de oposição tratarem do assunto seriamente e com respeito ao povo que os elegeu.  E que os vereadores do PT ou ligados a ele, lembrem que quem deixou a Prefeitura Municipal chegar a esta situação foram eles, que deixaram como herança um monte de dívidas. E agora ainda querem questionar um empréstimo que o município está solicitando para pagar as dívidas por eles criadas.
FONTE: SupCom -PMP