Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Vila Olímpica de Parnaíba se transformou em grande lixão e boca de fumo

                  Local está abandonado. Mais de 2 milhões investidos
Por: Manoel José
(editado e postado
por Bernardo Silva)
Estimada em cerca de 200 milhões, as obras da Vila Olímpica da cidade de Parnaíba ainda não chegaram à sua conclusão final. Apenas seis quadras esportivas foram construídas, o que corresponde a 2% referente a toda obra. Uma única quadra está funcionando, e em péssimas condições, para a prática de atividades esportivas. Os custos das 6 quadras foram estimadas em quase 4 milhões de reais.
O espaço total da Vila Olímpica é de 98.000 metros quadrados e prevê a construção de quadras esportivas, piscinas e até mesmo um estádio olímpico. As obras animaram a população do Piauí, empresários, e nativos, que sonhavam em investir no turismo local para poder receber os turistas de fora que, possivelmente, viriam acompanhar os treinamentos de delegações. No entanto, nada disso acontecer.
O repasse federal previsto era de R$ 14.625.000,00 e a contrapartida da Federação de Esportes do Piauí ( FUNDESPI) seria de R$ 1.625.000,00, totalizando um investimento de  R$ 16.250.000,00. Os recursos liberados pelo Ministério, desde então, totalizam somente  R$ 2.170.296,00 ( R$ 1.585.296,00 em 18/10/2012; e R$ 585.000,00 em 13/12/2012).
Com a liberação de recursos a FUNDESPI foi autorizada a iniciar os processos para execução do contrato da primeira etapa da Vila, sendo que a Fundação decidiu pelo desdobramento sequencial da obra, previsto em legislação.
A grande Praça Esportiva da cidade litorânea deveria ter sido entregue como parte do projeto de “Cidade Sede” para a Copa do Mundo do Brasil em 2014 e também para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. A mega construção deveria ter sido iniciada ainda no ano de 2018, mas apenas em 2012 é que a Vila começou a ganhar forma.
No ano de 2013 o Tribunal de Contas da União embargou as obras, com a alegação de ausência de estudo de viabilidade técnica e econômica. Dessa forma, muitos profissionais e atletas deixaram de usufruir aquela que seria o maior espaço esportivo do Estado.

Atualmente o espaço destinado à Vila Olímpica está sendo utilizado como um grande depósito de lixo e para desova de animais mortos. Populares da região afirmaram que o local também está servindo para que bandidos possam esconder objetos roubados e também para o consumo de entorpecentes.