Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Juiz Marcelo Mesquita recebe Título de Cidadania Piauiense

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) concedeu, em sessão solene realizada nesta segunda-feira (18), o Título de Cidadão Piauiense ao juiz paulista Marcelo Mesquita Silva. A honraria foi proposta pelo deputado Luciano Nunes (PSDB) em reconhecimento aos relevantes serviços prestados pelo magistrado, desde quando chegou ao Piauí, em 2002, quando tomou posse como juiz de Direito pelo Tribunal de Justiça do Estado.
O deputado Luciano Nunes lembra que o juiz homenageado foi titular da Vara Criminal de Parnaíba, passou por várias outras comarcas do Estado; tem uma grande preocupação social e uma afinidade muito grande na área de tecnologia de informação, tanto que foi, recentemente, convocado pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmen Lúcia, para auxiliar o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
 “O Dr. Marcelo se casou com uma piauiense, a delegada da Polícia Federal Léa Muniz, tem filhos piauienses, é um amante de nosso Estado, tem relevantes serviços prestados ao Piauí e nada mais justo do que a Assembleia prestar essa homenagem, reconhecendo o trabalho que ele vem desenvolvendo ao longo dos últimos 15 anos”, assinala o parlamentar.
O presidente da Associação dos Magistrados Piauienses (Amapi), Thiago Brandão também fez um reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo magistrado. “Nosso colega Marcelo Mesquita é um expoente da magistratura estadual do Piauí e, recentemente, foi convocado para colaborar com o Judiciário nacional, tanto pelos conhecimentos de magistrado como também pelos conhecimentos que adquiriu nos cursos de pós-graduação. A magistratura piauiense fica muito honrada com essa homenagem”, destaca.
O juiz Marcelo Mesquita frisa que a homenagem é motivo de muita felicidade e orgulho por ser agora um legítimo piauiense. “Desde quando cheguei aqui, me senti acolhido, me senti em casa, o povo é altamente cordial e acolhedor. Não foi por falta de opções, porque passei em outros concursos, mas decidi aqui ficar para tentar contribuir, na medida do possível, com o engrandecimento do Estado, que hoje tomo para mim também”, frisa.

TITO FERREIRA