Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Mão Santa desfaz boato de que teria dito ser contra tratamento do câncer em Parnaíba

Para o prefeito Mão Santa tudo não passou de calúnia e difamação dos herdeiros políticos de uma época que Parnaíba viveu, em que os velhos políticos diziam: “o inimigo quando não tem rabo de palha a gente bota”. Ele se referia ao boato surgido sexta-feira última, quando da presença em Parnaíba do ministro da saúde, Ricardo Barros. Em evento no Hospital Dirceu, segundo as fofocas propaladas, Mão Santa teria dito que não apoia o tratamento do câncer em Parnaíba. “Muito pelo contrário. Ninguém mais do que eu já fez tratamento de câncer em Parnaíba. Nós, os cirurgiões gerais, como Dr. Antônio Tomaz, Dr. Maynard, Dr. Odival e tantos outros, fizemos muitas cirurgias de câncer exitosas.  Além do mais, tenho o maior  respeito e apreço grande por toda a classe médica”. Não quis atingir ninguém, porque não tenho restrições a ninguém. Tudo não passou de infâmia dos herdeiros da calúnia, que distorceram os fatos, fizeram má interpretação, de propósito”, disse Mão Santa.
De acordo com o prefeito, o que foi dito é que o município possui atualmente R$ 6 milhões de reais para o tratamento do câncer. Como ele não vê demanda, na estrutura atual, para a utilização destes recursos até o final do ano, o dinheiro terá que ser devolvido. “Isso é norma e eu tenho que obedecer a lei, que manda devolver os recursos. E o que eu fiz foi pedir ao ministro que se gastasse esse dinheiro em alta complexidade, como cirurgias cardiovasculares e neurológicas, no Hospital Marques Bastos e outros que estão equipados para fazer esses procedimentos”, enfatizou o prefeito.
Na opinião de um profissional médico, que pediu para não ter o nome revelado, o que ocorre é que há ainda muita gente preferindo fazer todo o seu tratamento em Teresina, até porque ainda há carência de alguns equipamentos nos hospitais daqui, como o que faz radioterapia. Por isso não foi cumprida a meta e o dinheiro não foi todo utilizado no tratamento do câncer, restando os R$ 6 milhões. “E o Mão Santa viu que existem outros hospitais com dificuldades, e por que não utilizar estes recursos nesses hospitais? E o Mão Santa jamais iria questionar a qualidade de médicos. Ele está desarmado com todo mundo. O foco dele agora é Parnaíba, em primeiro lugar”, pontuou o médico.